NEW CONTEMPORARY ART MUSEUM - BUENOS AIRES

 

Ano: 2012

Equipe: Jéssica Ruy, Glessio Cagnoni, Juliana Carlini e Laís Fernandes

_configuração urbana

A série de armazéns de docas dispostos no eixo de Puerto Madero revela uma sensação de continuidade e ritmo. Um após o outro, eles criam uma sucessão de blocos de 16 metros de altura que são integrados por passarelas organizadas em um plano de grade, que faz a transição entre a água e a cidade. O sítio do projeto é uma interrupção para esta sequência e fornece ao pedestre um importante espaço público aberto, que organiza fluxos de Puente de la Mujer, passarela de Puerto Madero e Alicia Moreau de Justo Ave. Esta peculiaridade destaca o local como uma confluência importante e como marca na paisagem urbana. Outro fato relevante sobre o lugar é o histórico como uma área de doca em que alguns guindastes e derricks ainda são preservados em relação ao seu passado.

_estratégias de intervenção urbana

Qualquer intervenção neste local deve entender essa condição anterior como um espaço aberto respeitoso em um contexto urbano consolidado, bem como levar em consideração o Museu de Arte como uma proposta digna. A fim de fornecer uma intervenção que corresponda a ambos, os critérios de espaços abertos podem prevalecer nesta proposta. O conceito principal é manter uma relação entre a intervenção contemporânea e o histórico, aproveitando as estruturas portuárias que permitem caixas e contêineres de um movimento livre. Este modelo pode evitar padrões comuns de ocupação do piso térreo e assume a orientação de preservar o mais possível o piso térreo como um espaço público aberto. Os espaços abertos estão dispostos de forma a definir praças cobertas com grandes pés-direitos, fortalecendo a atual condição de Puerto Madero Waterfront como um importante espaço público em Buenos Aires.

_abordagem arquitetônica

 

O museu está organizado em padrões de estrutura portuária. Como um "container para artes", o espaço proposto contém a exposição de arte em que é mais apreciada a arte que o exterior. Por esta razão, as fenestrações são definidas para fornecer luz mínima e compor esteticamente o objeto garantindo que a paisagem urbana não compita com a arte exibida dentro das galerias. Embora as galerias não tenham visão, os outros espaços são definidos pelo uso intenso de materiais translúcidos e pela transparência. As circulações são organizadas de forma a criar passarelas translúcidas que permitem a contemplação da cidade e aprimoram os contêineres como parte do horizonte de Buenos Aires. As áreas de apoio - como sala de plantas, área de carga etc. - são reveladas à cidade usando paredes translúcidas que permitem a qualquer pessoa - dentro ou fora do prédio - observar a rotina dessas áreas, o que é coerente com a proposta cujo objetivo é dar uma nova preocupação nas estruturas portuárias e docas. Os pórticos de treliças que se assemelham a estruturas portuárias sustentam recipientes e mantêm relações ao alto dos edifícios do entorno, enquanto abriga escadas de emergência.

 

_prática sustentável

Aproveitando uma prática comum em Buenos Aires, as galerias são feitas de estruturas navais descartadas ou recuperadas, enfatizando os painéis de aço dos contêineres como capas para os espaços propostos ao museu. Referindo-se aos edifícios na rua Caminito do distrito de La Boca, esta prática tem o benefício de ser uma prática comum e conhecida amplamente utilizada no passado e o que é obrigatório hoje em dia, dando novo destino para navios não utilizados, contêineres e outras estruturas de aço.

_________________________________________________________________________________________________

CONTAINER FOR ARTS

_urban background

The series of docks warehouses disposed on Puerto Madero’s axis reveals a sense of continuity and rhythm. One after another they create a succession of 16-meter high blocks which are integrated by walkways organized into a grid plan and what makes transition between water and city. The project site is an interruption to this sequence and provides to pedestrian an important open public space, which organizes flows from Puente de la Mujer, Puerto Madero’s walkway and Alicia Moreau de Justo Ave. This peculiarity highlights the site as an important confluence and as a mark in urban landscape. Another relevant fact about the site is the historical background as a dock area in which some cranes and derricks are still preserved regarding to its past.

_strategies for urban intervention

Any intervention in this site ought to understand this previous condition as a respectful open space in a consolidated urban context, as well as taking into consideration the Art Museum as a worthy proposal. In order to provide an intervention that matches them both, the open spaces criteria might prevail in this proposal. The main concept is to maintain a relation between the contemporary intervention and historical background, taking advantage from port structures that permit boxes and containers a free movement. This model can avoid common patterns of ground floor occupation and assumes the guideline of preserving the most as possible the ground floor as an open public space. Open spaces are disposed in such ways to define covered plazas with great ceiling heights strengthening the current condition of Puerto Madero Waterfront as a major public space in Buenos Aires.

_architectural approach

The Museum is organized into port structure patterns. As a ‘container for arts’ the space proposed contains the art exhibition in which is more appreciated the art itself than the exterior. For this reason fenestrations are set in order to provide minimum daylight and to compose aesthetically the object assuring that the urban landscape will not compete to the art exhibited inside galleries. Although galleries are sightless the other spaces are defined for its intense use of translucent materials and for its transparency. Circulations are arranged in a way to create translucent footbridges that permit the city contemplation and enhance the containers as part of Buenos Aires’ skyline. The support areas – such as plant room, loading area etc – are unveiled to the city using translucent walls that permit to any person – inside or outside the building - to observe the routine of those areas, which is coherent to the proposal whose aim is to give a new concern on port and docks structures. The trusses porticos resembling port structures sustain containers and maintain relations to the height of surroundings buildings, while house emergency staircases.

_sustainable practice

Taking advantage of a common practice in Buenos Aires past the galleries are made of discarded or recovered naval structures, emphasizing the containers steel panes as covers for spaces proposed to the Museum. Referring to buildings in Caminito Street of La Boca district this practice has the benefit of being a common and known practice largely used in the past and what is commandable nowadays, giving new destination for unused ships, containers and other steel structures.